Regimento Interno

O Regimento Interno deve ser obedecido e ensinado por todas as pessoas envolvidas com o Projeto Paz, Recuperando Jovens (PROPAZ). Os monitores, funcionários e voluntários deverão obedecer-lho de forma exemplar, ensinando-o aos residentes através de palavras e exemplos de vida. Cada interno deve se submeter e obedecer este regimento interno. As pessoas que não concordarem com qualquer ponto e ou não se submeterem ao mesmo não podem estar no PROPAZ.
Dê o seu melhor para que os outros possam estar também fazendo o mesmo.

1. Tempo de internação.
O tempo que o dependente deverá permanecer no PROPAZ é de 12 (doze) meses. Esta fase de libertação consta de um programa em regime de internato voluntário em período mínimo de 12 meses subdivididos em: 1ª fase Desintoxicação Natural do Organismo (O PROPAZ por ser uma Comunidade Terapêutica, não faz uso de medicamentos tanto para desintoxicação, como para o tratamento da Dependência Química), que tem a duração de 06 meses e a 2ª fase, complementando o período estabelecido é a de Reinserção Social.

2. Do Processo de Internação.
Todos os Dependentes Químicos interessados em ingressar no PROPAZ, devem estar cientes de que somente serão aceitos como residentes após passarem por Triagem, realizadas por equipe da própria entidade, bem como atenderem os critérios abaixo mencionados constantes da RDC 29/11.
O responsável pela inclusão de um novo residente deverá providenciar os documentos, bem como todos os demais itens constantes no Formulário de Pertences Necessários para a inclusão do mesmo na CT e deverá deixar um documento com foto (RG, Carteira Profissional, RE Escolar), que identifique o residente, para que o mesmo faça uso, quando houver a necessidade de saída da Comunidade Terapêutica, para finalidades diversas, bem como Xerox dos demais documentos.

2.1 Critérios Clínicos que contra-indiciam a admissão e permanência de pacientes em Comunidades Terapêuticas.
Os pacientes submetidos a regime de tratamento em Comunidades Terapêuticas não são assistidos por equipe de saúde em tempo integral. Por isso precisam ter condições mínimas de auto-cuidado e entendimento da situação, assim como estarem motivados a seguir tratamento de forma voluntária.
A Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (FEBRACT) assegura em seu estatuto pelo menos um atendimento médico psiquiátrico ao mês para aqueles com comorbidade psiquiátrica não psicótica.
Caso em que o paciente não tenha capacidade para deliberar sobre si ou para agir conforme suas deliberações ou casos em que o paciente precise de assistência médica ou de saúde intensivas não devem ser encaminhados ou mantidos em CTs. São condições em que isso ocorre:

  • Intoxicação: Os casos de intoxicação por álcool ou drogas, na sua maioria devem der tratados em ambiente hospitalar. Por isso, devem ir a CT apenas após resolução do quadro.
  • Síndrome de abstinência de: álcool, opióides, anfetaminas, benzodiazepínicos ou qualquer outra substância em que haja risco de complicações clínicas em sua evolução.
  • Doenças clínicas agudas ou descompensadas como hipertensão, diabetes, cardiopatias, hepatopatias, infecções, alterações eletrolíticas etc. O médico deve avaliar a gravidade do quadro e só liberar o paciente para tratamento em comunidade terapêutica quando o quadro estiver compensado e em condições de ser tratado de forma ambulatorial.
  • Risco de auto ou heteroagressividade. Pacientes com risco de: suicídio, auto-agressão, homicídio ou heteroagressão devem permanecer em ambiente hospitalar.
  • Sintomas psicóticos. Pacientes apresentando alucinações ou delírios não tem possibilidade de ir a CT.
  • Alterações de nível de consciência como estado comatoso, torporoso, sonolência, confusão mental devem ser assistidas em ambiente hospitalar.
  • Suspeita de traumas (craniano, torácico, abdominal, ortopédico) devem ser avaliados em unidade de saúde e se necessário mantidos em observação na mesma.
  • Graves alterações do controle ou da vontade não devem ser encaminhados a CT pela impossibilidade de seguirem as orientações propostas.
  • Transtornos psiquiátricos graves e em fase aguda como depressão, mania, demências entre outros devem ser inicialmente tratados para terem possibilidade de seguirem tratamento, após melhora da sintomatologia, em CT.

Concluindo, a Comunidade Terapêutica é possibilidade de tratamento para dependentes de substância, mas o médico deve sempre avaliar a elegibilidade deste tratamento levando em conta o fato de ser tratamento fora de ambiente hospitalar e sem suporte para dar assistência a casos graves do ponto de vista clínico e psiquiátrico.
Além disso, é necessário que a Comunidade Terapêutica tenha um sistema formal de referência e contra-referências com equipamentos de saúde da rede estadual para situações que se configurem indicativas de cuidado médico episódico ou contínuo, seja em situações de urgência/emergências (AMA, UPA, Prontos-Socorros), seja em situações de seguimento médico em tratamentos de regime ambulatorial (CAPS-AD, Ambulatórios de Psiquiatria e outros).
A equipe técnica das Comunidades Terapêuticas ficará responsável por administrar e guardar medicações quando prescritas por médico que avaliou o paciente previamente ou que o assiste em equipamento de saúde concomitantemente à sua estada em regime de Comunidade Terapêutica.

2.2 Objetivos do Tratamento em Comunidade Terapêutica:
 Redução progressiva do uso/abuso de drogas e/ou minimização das conseqüências;
 Busca da abstinência através do não uso de drogas;
 Busca da autoconsciência, autocrítica;
 Mudança significativa no estilo de vida (busca de um estilo de vida saudável);
 Busca de uma melhor qualidade de vida;
 Capacitação para reassumir a condução de sua própria vida;
 Reinserção familiar e social.

3. Auxilio Doença.
Caso o residente tenha direito ao auxilio doença, a responsabilidade de dar andamento na documentação necessária para que o mesmo possa receber o benefício é exclusivamente da família, que deverá:
 Agendar a Perícia Médica no INSS
 Levar e trazer de volta (no mesmo dia) o residente nas respectivas datas marcadas para a realização da perícia médica .
 O Projeto Paz, somente fornecerá a uma declaração que o mesmo é residente da entidade.

4. Pertences permitidos ao residente.
Não será permitido ao residente estar com jóias, equipamentos eletrônicos, rádios ou qualquer equipamento que tenha valor comercial (Estes itens devem ser autorizados pela Direção da entidade). Deve ter não muitas peças de roupa. Tudo deve ser usado, em hipótese alguma deve ter tênis ou roupas que sejam novos e tenham muito valor comercial. O monitor que fizer a checagem na hora da internação deve pedir para a família levar de volta tudo o que estiver fora destas especificações.

5. Visitas aos residentes.
Os residentes nos primeiros 30 (trinta) dias não terão direito à visita. Somente receberão visitas a partir do mês seguinte, sendo que as visitas acontecerão somente no 1º e no 3º domingos de cada mês, das 13:00 às 16:00 hs dentro das dependências do Propaz, se possível com agendamento antecipado de dois dias, informando quantas pessoas virão para a visita. Nenhuma visita, em hipótese alguma, poderá entrar nos quartos. Isso é proibido. Os visitantes estão proibidos de deixar cigarros, dinheiro ou qualquer tipo de valor para o interno. Qualquer valor deve ser entregue ao Coordenador.
Os residentes poderão receber somente visitas de parentes e familiares, no caso de amigos estes devem estar acompanhados por um membro da família do interno.
Todos os pertences trazidos pelos familiares devem necessariamente ser entregues diretos na Secretaria do PROPAZ ou nas mãos dos monitores.

6. Uso de dinheiro.
 Nenhum residente pode estar com dinheiro em seu poder. Todo dinheiro devera ser entregue ao Coordenador onde será colocado dentro de um envelope identificado com o nome do mesmo e o valor correspondente, e será guardado em cofre.

 Qualquer compra na rua deve ter a autorização do Monitor Responsável e será feita juntamente com outras compras que será agendada uma vez por semana. E deve ser de extrema necessidade. É proibido comprar alimentos, equipamentos eletrônicos, relógios, tênis ou roupas, sem a autorização da Diretoria.

 É expressamente proibido aos residentes realizar transações de compra, venda ou troca de objetos sem a autorização da Direção.

 É expressamente proibido aos residentes realizarem serviços a outros internos com a intenção de se beneficiar financeiramente (Consertar aparelhos, lavar roupas, passar roupas, venderem artesanato).

7. Consultas Médicas e Odontológicas
 O Projeto Paz realizará somente consultas médicas ou odontológicas em casos de emergência, ficando a família responsável por tratamentos médicos ou odontológicos de doenças já adquiridas pelo residente, ou que venham a se manifestar em consequência do uso/abuso de drogas.

 Quando o residente necessitar de atendimento emergencial (médico ou odontológico) e estiver na rua acompanhado do monitor o mesmo fica proibido de realizar ligações telefônicas para a família.

8. Comunicação do residente com família e vice-versa.
Os familiares poderão telefonar para o Coordenador ou para os Monitores de plantão, e pedir informações sobre a conduta/comportamento do residente. Os familiares também poderão escrever cartas para os internos a qualquer momento. (Porém em caso de suspeita, as cartas serão abertas e verificadas pelo Coordenador ou o Monitor responsável antes de serem entregues ao interno).
Os contatos telefônicos com a família serão autorizados aos residentes com mais de 30 (trinta) dias de internação, às sextas-feiras e aos sábados, das 08:00 às 18:00. O interno não poderá telefonar mais de 02 (duas) vezes na semana (uma vez na sexta-feira e uma vez no sábado) para qualquer que seja a pessoa e ficar mais entre 05 (cinco) e 07 (sete) minutos, sendo que as ligações serão feitas à cobrar, ou com cartão telefônico trazido pela família. O contato telefônico com a família será através do orelhão que encontra-se nas instalações do Propaz, cujo número de identificação é (14) 3664-0330.

9. Alimentação.
O residente deve alimentar-se com o que é servido no PROPAZ, não é permitido a internos alimentação exclusiva, não é permitido guardar açúcar, leite, enlatados, refrigerantes e vidros de conservas ou qualquer outro tipo de alimento dentro dos armários e quarto. Nós estamos vivendo em comunidade, por isso caso a família traga refrigerantes, pães, leite, bolos os mesmos deverão ser entregues na cozinha que será dividido com todos. Sendo assim os familiares deverão trazer uma quantidade que de para todos, como já dissemos estamos vivendo em comunidade (família). A qualidade e quantidade de alimento no PROPAZ é servido conforme as doações recebidas de Igrejas ou empresas, açougues, padarias, varejões e mercados. E será servido quatro refeições no dia: chá da manhã, almoço, jantar, chá da noite. O Café não é permitido, pelo fato de que a Cafeína causa dependência.

10. Disciplina.
Caso o residente desobedeça ao regimento Interno, ele poderá ser disciplinado pelo Coordenador e Monitor Responsável. Esta disciplina pode ser trabalho braçal, laborterapias, pontuação, etc. Os Monitores deverão tratar os internos com amizade. Os monitores não devem usar de violência verbal ou física. Como xingos, gritos, ofensas pessoais ou tapas, empurrões e murros. Caso não haja acordo o interno deve ser encaminhado ao Coordenador.

11. Uso de drogas e fugas.
Caso o residente fuja para usar drogas ou álcool ou traga isto para dentro do PROPAZ, ou volte da rua, alcoolizado ou drogado, este interno deverá ser automaticamente excluído e entregue a família conforme as regras estabelecidas no manual do interno e no Regimento Interno.

12. Higiene pessoal e Normas Internas.
Higiene pessoal é fator básico para o bom relacionamento dentro do PROPAZ. Ninguém gosta de estar perto de “gambazinhos”, pessoas que não tomam banho, não escovam dentes ou não usam desodorantes. Cada interno deve tomar um banho diário de no máximo 07 (sete) minutos, escovar os dentes após cada refeição.
O residente deve manter-se limpo mediante banho e higiene bucal diários,
barbear-se regularmente (ao menos em dias alternados), roupas adequadas e cabelos em ordem.
Limpar bem os sapatos, botas, tênis e chinelos antes de guardá-los no lugar indicado. Todas as roupas sujas devem ser lavadas semanalmente em locais e horários indicados. Após o término da lavagem, deve-se secar o piso e guardar os utensílios utilizados nos devidos lugares. As roupas após secas deverão ser retiradas dos varais.
Manter a porta fechada ao utilizar o banheiro. Atentar-se para não deixar objetos de uso pessoal. Manter o banheiro limpo e seco para o próximo residente.
Contar as unhas, usar desodorantes (em pasta ou rolon) e estar sempre com a roupa limpa e passada.

Objetos pessoais:
 Cada um deve organizar e cuidar do que é seu.
 As roupas devem estar limpas.
 Não usar bonés no refeitório em horário das refeições e nem na capela nos horários de culto.

Roupas:

NÃO DEIXA-LAS DE MOLHO MAIS DO QUE 20 MINUTOS.
 Recolhe-las logo que estiverem secas. Não deixá-las no varal.
 dobrá-las e guardá-las em seus devidos lugares.

Dormitórios
 Respeitar os mais velhos.
 Devem estar sempre limpos e em ordem.
 Todos os armários em ordem (roupas dobradas e arrumadas).
 Não guardar alimentos nos quartos e nem fazer uso de líquidos.
 Não levar visitas para os quartos.
 A entrada ou permanência nos quartos obedecerá aos horários das atividades do cronograma, salvo com autorização e acompanhamento da Equipe.
 É permitida a entrada somente no quarto onde se reside.
 Manter o armário limpo e arrumado, diariamente, usando-o somente para guardar roupas e objetos de uso e higiene pessoal.
 Ao levantar, deixar a cama arrumada, mantendo-a organizada durante todo o período.
 As toalhas ou roupas deverão ser estendidas nos varais externos, e na lavanderia em dias de chuva.
 É expressamente proibido transitar nos corredores com roupas íntimas e deve-se fechar a porta e a janela do quarto sempre que for trocar de roupa.
 Sempre que necessário colocar os colchões, travesseiros e cobertores para arejarem.
 Manter silêncio absoluto após o recolher e apagar das luzes, com exceção do corredor e do banheiro, até o momento do despertar do dia seguinte.

 Caso os residentes pernoitarem em outra unidade da CT, o recolher e o despertar fica sob a responsabilidade dos técnicos e monitores.

 Para os residentes na fase de Reinserção Social que participam de Cursos Profissionalizantes e similares o horário de recolher será definido

Banheiros:
 enxugá-los após o banho.
 Mantê-los impecavelmente limpos.
 Banhos somente nos horários estabelecidos ou autorizados.
 Não deixar roupas ou objetos jogados.
Cozinha:
 Mantê-la impecavelmente limpa.
 Lavar objetos utilizados.
 Não adentrar na cozinha sem AUTORIZAÇÃO.
 Respeitar a autoridade do cozinheiro, não pedindo utensílios da cozinha..
PROPAZ:
 Respeitar o coordenador, monitores e voluntários acatando suas ordens.
 Mantê-lo sempre limpo.
 Manter sempre as dependências externas e internas em ordem.
 Não jogar papeis de balas e outros tipos, a não ser nos locais próprios.
 Zelar pelas plantas e jardins.
 Nos dias de visita, evitar aproximação com familiares de outros, respeitando seu direito à privacidade.

13 – Os residentes deverão seguir as seguintes normas:

 Não mexer na TV, aparelhagem de som ou radio sem autorização ou fazer uso dos mesmos fora do horário especificado;
 Não fumar ou fazer uso e Drogas e Álcool;
 Não chegar atrasado nas reuniões;
 Não abandonar qualquer atividade sem justificativa;
 Despertar nos horários determinados;
 Não realizar transações de compra, venda ou troca de objetos ou roupas sem autorização da Diretoria;
 Não tirar a concentração de companheiros em horários de Laborterapias, Terapias Ocupacionais, Estudos, Vídeos e Reuniões em Grupo;
 Não transitar sem motivo em áreas que companheiros estão trabalhando;
 Não comer fora do horário sem autorização;
 Não manter dinheiro em seu poder;
 Não fazer refeições ou lanches dentro dos dormitórios e capela;
 Não colocar os pés nos bancos do refeitório e capela;
 Não quebrar o silencio após as 22:30 hs;
 Não conversar de forma a levar os companheiros ao negativismo;
 Não quebrar móveis, utensílios e ferramentas propositalmente;
 Não deve entrar em outros quartos sem autorização;
 Não fazer uso do telefone sem autorização da Direção e ficar mais que 5 (cinco) minutos conforme regulamento;
 Não fazer reclamações fora das reuniões especificas para tal;
 Não guardar revistas ou objetos que estimulem a prática sexual;
 Não praticar brincadeiras físicas ou de mal gosto;
 Não participar das atividades sem uma justificativa;
 Sair das dependências do PROPAZ sem autorização;
 Não permanecer nos dormitórios fora do horário especificado e sem autorização;
 Não enviar bilhetes, cartas ou recados para fora do PROPAZ sem autorização da Direção;
 Não fazer uso de palavras de Baixo Calão;
 Cumprir todas as metas estabelecidas pela coordenação;
 Não permanecer sem camisa dentro da entidade, mesmo no horário de banho.

14. Fumantes.
A Nicotina é droga e causa dependência, portanto é expressamente proibido os residentes do PROPAZ fazerem uso de tabaco, fumo de corda, cachimbo ou qualquer outro tipo de cigarro dentro ou fora da entidade no período de internação.

15. O Coordenador.
O Coordenador é a figura chave e central no programa do PROPAZ, desta forma ele deve ser respeitado pelos monitores e os outros internos. É importante ressaltar que o Coordenador é alguém que realmente pode ajudar você. Ele não é leigo no assunto e entende onde você esteve.

16. Saídas do PROPAZ.
Não é permitido a nenhum residente estar sozinho fora do PROPAZ. Saídas para médicos, dentistas, ou tratar de problemas judiciais, só é permitido se acompanhado por um monitor ou familiar. Ambos devem usar identificação através de crachá ou camiseta do PROPAZ. Relações Públicas devem usar identificação, crachá ou camiseta, e em hipótese alguma estar desacompanhado, deve sempre estar no mínimo em duas pessoas. Para evitar cair em tentações com mulheres ou drogas, nunca ande sozinho.
OBS: Os residentes que estiverem fora do PROPAZ acompanhados por monitores ou familiares, que por ventura vierem a fazer uso de tabaco, fumo de corda, álcool ou outras drogas, independente do tempo limpo, automaticamente reiniciarão o tratamento. Se não aceitarem esta condição serão automaticamente desligados do programa de recuperação. Esta norma aplica-se também aos Líderes e Monitores.
Os residentes que completarem 09 (nove) meses de tratamento e têm bom comportamento, terão o direito de passar 01(um) final de semana em sua residência, bem como ser liberados para passar Natal e Réveillon com sua família. Porém este benefício fica restrito à autorização do Coordenador da entidade mediante sua avaliação de como o interno está em seu tratamento.

OBS: Os residentes que completarem 09 (nove) meses de tratamento terão o direito de passarem 01 (um) final de semana em sua residência dando início ao Programa de Reinserção Familiar e Social (mediante avaliação da Equipe Técnica do PROPAZ).

17. Relações sexuais.
Não é permitido qualquer tipo de relações sexuais. Pessoas com tendência homossexual devem procurar o Coordenador ou os Monitores, e pedir ajuda e aconselhamento específico para este problema. As pessoas com problemas com masturbação também devem procurar aconselhamento específico para aprenderem a controlar seus instintos sexuais. Fale com o Coordenador ou um dos Monitores.

18. Namoros.
É proibido ao residente iniciar namoro enquanto estiver na condição de interno. É importante que se tenha consciência que enquanto não se resolver o problema da dependência não se pode assumir a responsabilidade de um relacionamento emocional. Caso seja comprovado que o interno está começando um namoro ele deve ser advertido e encaminhado ao Coordenador.

19. Uso da Linguagem.
Não são permitidas discussões, xingamentos, palavrões, bate-bocas, inimizades, agressões por parte do residentes, Monitores ou Coordenador. É proibido fazer sinais obscenos. Não se pode falar sobre drogas ou sobre sua antiga vida nas drogas. O residente poderá somente falar sobre suas experiências quando estiver testemunhando libertação. Nas reuniões os internos poderão também partilhar seus sentimentos, sempre com a autorização do Coordenador ou Monitores. Não deixe Satanás usar sua boca para incentivar outros a voltar para as drogas, não fale sobre drogas ou atividades do velho viciado.

20. Uso de Medicamentos
O Projeto Paz Recuperando Jovens, por ser uma comunidade terapêutica, não faz uso de medicamentos no tratamento de seus residentes, no entanto não interrompe o tratamento com medicações já prescritas por profissionais da área da saúde, desde que juntamente com a medicação seja enviado um laudo médico sob como a medicação deve ser ministrada.
Sendo que todo e qualquer tipo de medicamento, fica a família responsável pela compra e entrega dos mesmos a esta entidade.

21. Programação de Atividades:
Será afixada em local visível e no manual do residente, e poderá ser alterada conforme as necessidades do Projeto Paz. É obrigatória a participação dos residentes em todas as atividades.
Os residentes que se destacarem nas atividades constantes do cronograma do PROPAZ, poderão ser nomeados como Líder entre os demais residentes, sem que no desenvolvimento desta função haja prejuízo na desenvoltura de seu tratamento.

22 – Dos Horários das Atividades Diárias: 

 Despertar 06:40 hs / (Sab. e Dom. – 07:40 hs.)
 Devocional 07:00 hs
 Café ___ 07:30 hs. / (Sab. e Dom. – 08:00 Hs)
 Laborterapia 07:50 às 08:30 hs.
 Terapia Ocupacional 08:30 às 11:20 hs
 Almoço 11:30 às 13:00 hs. / (Sab. e Dom. – 12:00 hs.)
 Terapia Ocupacional 13:10 às 15:40 hs.
 Est. Bib. dos 12 passos 16:00 às 16:30 hs
 Livre 16:35 às 17:55 hs.
 Banho 16:35 às 17:55 hs.
 Jantar 18:00 às 19:00 hs.
 Est.Biblicos / Palestras 19:30 às 21:00 hs. / (Sábados – 09:00 às 09:45)
 Chá / TV 21:10 hs.
 Recolher 22:00 hs
 Silencio 22:30 hs

ATENÇÃO:
 As portas serão fechadas Logo após o Chá da noite (21:10 hs)
 As luzes serão apagadas automaticamente as 22:00 hs
 A Televisão será desligada automaticamente as 21:30 hs

23 – CASOS DE EXCLUSÃO:

 Três pontos vermelhos
 Um dia de atraso no retorno da visita externa
 Trazer, fazer uso ou manter cigarros de qualquer espécie, álcool ou outras drogas nas dependências ou fora do PROPAZ enquanto estiver sob os cuidados do PROPAZ.
 Roubar ou lesar outra pessoa
 Desacatar Coordenador, Monitores e voluntários
 Envolver-se em pratica sexual de qualquer espécie
 Sair das dependências do PROPAZ sem acompanhamento de um Monitor ou Voluntário.
 Quando o residente receber alta terapêutica, desistir do tratamento (alta a pedido) ou for desligado (alta administrativa) do tratamento pela Equipe, os responsáveis serão avisados de tal procedimento e deverão adotar providencias para a saída do mesmo.
 Caso o residente queira solicitar o desligamento, recomenda-se não fazê-lo em visita familiar.
 Os casos de desligamento imediato (exclusão) da CT: situações de violência, sexo e uso de álcool e outras drogas dentro da CT, ou a critério da mesma previstos nas normas de moradia.
 Em caso de evasão, a Equipe comunicará aos responsáveis e providenciará o Boletim de Ocorrência (BO) em 24 horas. Quando a internação for por determinação judicial, o Juiz deverá ser informado, assim como a instituição que encaminhou o residente.

Regras de Pontuação:-

Verde = Bom Comportamento
Amarelo = Advertência
Azul =  Gratificação
Vermelho = Falta Grave

As pontuações seguem da seguinte forma:-

Verde:- Bom Comportamento

Amarelo:- 02 (dois) = 01 vermelho

Vermelho:- 01 (um) = perde telefonema do mês
02 (dois) = perde telefonema e visita do mês
03 (três) = exclusão

Azul:- 03(três) = salva um vermelho

24. Espiritualidade
A espiritualidade pode ser definida como estado psíquico que proporciona significado e propósito à vida das pessoas em face de um bem maior. É reconhecida como um fator de proteção que contribui para a saúde e qualidade de vida, favorecendo ao individuo o resgate da sua identidade e integração social. Esse conceito é encontrado em todas as culturas e sociedades, portanto as CTs devem respeitar as crenças e valores individuais, sem prejuízo da integração da pessoa ao plano de tratamento. Esclarecendo que o PROPAZ adotou como parte do tratamento o programa 12 Passos para os Cristãos, Jornada Espiritual com Amor Exigente, também encontrado na Bíblia de Estudos Despertar.

25. Da Participação da Família no Tratamento do Interno:

A Dependência Química é uma doença (e não uma deficiência moral) reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) sob o código CID 10 – F 19.
Esclarecendo que juntamente com o usuário, a família também precisa ser tratada, ou seja, precisa estar preparada para receber o dependente químico novamente em seu convívio após o período de internação. Para tanto esta entidade realiza uma reunião a cada 02 (dois) meses, com início marcado para as 09:00 horas e término previsto para as 12: 00 horas ( ou outro horário a ser definido), para orientar os familiares no sentido de instruí-los sobre a maneira com que devem proceder quando o interno voltar para casa. Tal reunião se faz necessária pelo fato de que a Dependência Química é uma doença progressiva, incurável e fatal, mas que com ajuda ele pode ser tratada, ou seja, o dependente químico depois de passar pelo período de internação ele não sai da Comunidade Terapêutica completamente curado, mas sim com a capacidade de dar continuidade em seu tratamento, porém para conseguir vencer as adversidades que vai encontrar em seu dia a dia, ele precisa sair da Comunidade Terapêutica e chegar em casa e encontrar uma família estruturada e bem informada para que ele não venha a ter uma recaída.
Outrossim, informamos que é obrigatória a participação de pelo menos 02 (dois) membros da família nesta reunião, que será marcada e divulgada com antecedência, pelo fato de que temos a necessidade de que os familiares ajudem no sentido de estarem colaborando para a realização do almoço de confraternização que acontece logo após a reunião.

26. Reinserção Familiar e Social.
O objetivo fundamental da Reinserção Social é a progressiva ressocialização do dependente químico em um ambiente que reforce a capacidade de:
 Ser autônomo;
 Buscar a realização (pessoal, profissional, social);
 Relacionar-se com o outro;
 Autoafirmar-se;
 Buscar um significado para a própria vida;
 Potencializar o processo de maturidade (pensar, projetar, escolher e realizar).
A reinserção social é um processo no qual o indivíduo, sua família, a comunidade e o Estado se envolvem, visando a criar novas redes de relações do indivíduo com toda a sociedade, de forma saudável. Concretiza-se com a conscientização do indivíduo no aprendizado ou no resgate de valores morais e éticos, devendo a família, a sociedade e o Estado prestar-lhe apoio, criando mecanismos de educação, saúde, trabalho, esporte, lazer, cultura, apoio psicológico para o exercício de sua cidadania.
Assim, os esforços são realizados para que o dependente possa, através do entendimento de sua condição, estabelecer novas relações com a sociedade de uma maneira nova, baseada nos princípios humanos universais, diferentes das relações que mantinha no período em que usava drogas.
 As saídas para reinserção social devem contemplar atividades terapêuticas, sociais, e de lazer, ou contatos com grupos de apoio, auxiliando o residente na sua reintegração social fortalecendo os fatores de proteção.
 É expressamente proibido ao residente dar, oferecer, pedir e receber dinheiro a outro residente ou de responsáveis e amigos em quaisquer saídas da CT.
 Qualquer saída que faça parte do cronograma de atividades dos programas poderá sofrer cortes temporários em função do comportamento individual ou coletivo dos residentes que os predisponham a riscos.
 Qualquer tipo de alimento deve ser consumido antes do retorno à CT ou entregue à Equipe para posterior distribuição.
 Caso haja algum restante de dinheiro, o residente deve devolvê-lo no mesmo dia para o responsável do plantão.
 A listagem para cronograma de saídas para grupos e lazer estará afixada na disciplina de cada programa de tratamento no dia determinado pela Equipe.

Os residentes que completarem 09 (nove) meses de tratamento, serão submetidos à avaliação da Equipe Técnica do PROPAZ, com a finalidade de iniciarem o Processo de Reinserção Familiar e Social, que segue o seguinte cronograma:

 09 meses completos – 01 final de semana na residência – Saída da CT na Sexta-Feira após as 15:00 hs / Retorno Domingo até as 17:00 hs.

 10 meses completos – 01 final de semana na residência – Saída da CT na Sexta-Feira após as 15:00 hs / Retorno Domingo até as 17:00 hs.

 11 meses completos – Liberado para passar os finais de semana na residência, até completar o período de 12 meses de tratamento. Sempre com Saída da CT na Sexta-Feira após as 15:00 hs / Retorno Domingo até as 17:00 hs.
OBS:- Os casos que não constarem nesse manual serão analisadas pela coordenação e aplicada as penalidades cabíveis.

§ O Projeto Paz, Recuperando Jovens não se responsabiliza por objetos de valor que estiverem em posse do interno. E reserva-se ao direito de fazer qualquer mudança a qualquer momento sem prévio aviso de regras e normas que julgar necessárias para o bom andamento do PROPAZ.